Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

loading...

Eles fizeram um buraco nesta árvore de 1.000 anos. 130 Anos mais tarde, descobrem algo terrivelmente triste

Uma das árvores mais conhecidas e aclamadas do mundo se chama Pioneer Cabin. Esta era uma sequóia gigante que fazia parte do parque Calaveras Big Trees State, na Califórnia. Esta bela e impressionante espécie tinha 10 metros de diâmetro e mais de 1.000 anos de idade!
Só que a sua idade e esplendor não eram suficientes aos olhos da ganância humana. Então, há 130 anos atrás, numa tentativa de atrair mais visitantes, os responsáveis do parque decidiram fazer um buraco na árvore gigante. Tudo isso para que as pessoas e veículos a pudessem atravessar.
O enorme buraco na base daquela espécie causou danos irreversíveis. Ela começou a ficar cada vez mais fraca com o passar dos anos, e até parou de crescer. Todo mundo sabia que aquela maravilhosa obra da natureza tinha os dias contados…
A gente que passava naquele local adorava tirar fotos posando junto ao buraco da árvore. O plano de “marketing” funcionou e aquela planta foi um ímã para que os turistas visitassem aquela zona do país… até ao terrível dia 9 de janeiro de 2017.

Foi nesse dia que surgiu o golpe final: uma tempestade devastou a região onde se encontrava o parque, causando inundações e deslizamentos de terra.

Quando a catástrofe terminou, a equipe foi ver os danos do local onde se encontrava a sequóia gigante. Eles ficaram chocados ao ver a Pioneer Cabin descansando no chão da floresta… A tempestade foi o seu fim.
Por mais de 1.000 anos, esta impressionante árvore impressionou milhões de pessoas por todo o mundo. Agora, uma parte importante da história da natureza se foi para sempre.

Cada vez mais temos aprendido sobre o meio ambiente, e os mais sábios investigadores reconhecem que fazer um buraco nesta árvore preciosa foi um erro irreparável. Pioneer Cabin ainda estaria de pé se as pessoas soubessem disso antigamente.

Que a “morte” desta árvore seja uma lição para respeitarmos a natureza e não voltarmos a cometer o mesmo erro!

0 comentários :

Postar um comentário